Animais misticos
Muitas criaturas fabulosas tiveram origem na Mesotopâmia, nos vales do Tigre e do Eufrates, e daí passaram para Oriente e Ocidente. A fênix, a serpente de muitas cabeças e a imagem de uma grande ave com uma serpente nas suas presas surgem na iconografia de muitas regiões do mudo. Estes animais míticos que são semi-animais, semi-humanos, representam tanto os instintos animais como o intelecto humano. Os monstros que são em parte pássaros, em parte criaturas da terra ou do mar, assumem as associações simbólicas de ambos, representando talvez o sol e as águas, para além do seu simbolismo intrínseco.
Budísmo
O Budismo assenta na não-violência, compaixão e caridade. O seu objetivo é a Iluminação, que põe termo ao ciclo de nascimento e renascimento e conduz ao Nirvana (à letra: extinção), ou integração no cosmos. O budismo desenvolveu-se a partir dos ensinamentos de Gautama Buda, nascido como Princepe Siddhartha no nordeste da Índia, em meados do século VI a.C.. Siddhartha renunciou à vida mundana para buscar uma existência liberta do sofrimento. Quando alcançou esse objetivo, através da meditação e do ascetismo, foi denominado o Buda, ou o Iluminado.
Cristianismo
O Cristianismo encontra suas raízes na fé judaica: o Velho Testamento da Bíblia contém profecias quanto ao surgimento de um Messias (salvador). Os Cristãos crêem que estas profecias foram cumpridas com Jesus, que acreditam ser o Filho de Deus. Os seus ensinamentos, registrados nos evangelhos do Novo Testamento, acentuam o amor fraterno e a compaixão e relevam grande riquesa ao nível da significação simbólica. Desde o seu nascimento, há dois mil anos, que a igreja cristã se dividiu em muitos ramos, mas todos os Cristãos estão unidos na crença central de que Cristo morreu para redimir os pecados do mundo e de sua ressurreição ofereceu a salvação.
Egípcios
Os deuses egípcios resultam da fusão de duas culturas anteriores, uma com deuses de formas humanas e outra com deuses de formas animais. Gradulmente, desenvolveu-se uma religião notável, centrada no culto dos mortos.
Espíritos dos Antepassados e da Natureza
Em todas as regiões do mundo, numa ou noutra época, houve a crença de que tudo na natureza possui uma alma ou um espírito. Os espíritos das árvores, montanhas, plantas, rios e rochas estão sempre presentes e são venerados, a fim de que o homem e a natureza possam coexisitr em harmonia. Os espíritos dos antepassados tambem são fundamentais nas crenças de muitos povos. Quando alguém morre, junta-se aos antepassados e vela pelos laços da comunidade com o passado. Alguns espíritos têm um caráter protetor e servem para defender uma comunidade ou um indivíduo em tempos de perigo. Podem surgir na proa de um barco, num escudo, numa lança, num capacete, e podem ter um aspeto temível, a fim de afugentarem o mal ou o inimígo na batalha.
Gregos
No segundo milênio a.C., a religião egeia girava em torno do culto de uma deusa mãe; mais tarde porém, o centro da civilização mudou-se para o continente e os Gregos passaram a adorar muitos deuses que lutavam, discutiam e amavam como se fossem humanos.
Hinduísmo
O hinduísmo é a principal religião da índia. Desenvolveu-se ao longo de milénios e abarca um complexo conjunto de tradições, crenças religiosas, filosofia e mitologia. As raízes de hinduísmo podem ser encontradas nos Arianos, que chegaram à Índia com o seu panteão de deuses masculinos no segundo milénio a.C.. Os povos indígenas do vale de Indo tinham fortes crenças religiosas, centradas em cultos de fertilidade e numa Deusa Mãe. Os Arianos adotam muitas das suas crenças, incluindo a Deusa. Todos os deuses e deusas do hinduísmo, incluindo Brama (criador), Vixnu (preservador), Xiva (destruidor) e a Deusa são aspectos de Braman, o único princípio eterno.
Islão
O Islão é a fé de cerca de um quinto da população mundial. Fundamenta-se nas revelações do profeta Maomé, que viveu na Arábia (c. 570/632 d.C.). Estas revelações foram mais tarde registradas num livro, o Alcorão. Os seguidores do Islão são os Muçulmanos. Tal como os Judeus e os Cristãos, veneram um único deus, a que chamam Alá, e consideram a sua fé um ato de submissão à vontade de Alá. As ações dos devotos muçulmanos são ditadas pelos Cinco Pilares, que prevêem que o fiéis declarem a sua fé publicamente, orem cinco vezes ao dia, dêem esmolas, jejuem durante o mês do Ramadã e façam uma peregrinação a Meca.
Judaísmo
O Judaismo emergiu por volta do século XIV a.C. e evoluiu no sentido de uma religião fortemente monoteísta, baseada num diálogo entre Deus, ou Javé, e o seu povo eleito, os Judeus. Os patriarcas do judaísmo são os antigos chefes, Abraão, o seu filho Isaac, o seu neto Jacob, cujos feitos estão registrados no Génesis, o primeiro livro da Bíblia. Hoje, os Judeus estão dispersos pelo mundo, mas une-os uma cultura centrada na história, na lei e na vida familiar judaicas.
Orientais
Os temas orientais, sobretudo os japoneses e chineses, a muito, estão entre os mais procurados nos estúdios de tatuagem. As misteriosas máscaras, os poderosos e protetores dragões, as belas gueixas, as suaves flores, os guerreiros samurais, as virtuosas carpas e as escritas kanji, são alguns dos principais representantes da arte e história
Romanos
Os Romanos absorveram elementos de todas as culturas com que entraram em contato. Adotaram os deuses dos Gregos e dos outros povos que conquistaram e tinham centernas de diferentes deuses, deusas, semideuses e espíritos que governavam particamente todos os aspectos da vida. Honravam-nos e adoravam-nos a fim de defenderem a sí mesmos-nesta vida e na outra.